fbpx

Prefeitura estuda a possibilidade de ampliar atendimento ao CAECA

A Prefeitura Municipal de Capão do Leão procura imóvel capaz de absorver toda estrutura do Centro de Atendimento Especializado da Criança e do Adolescente (Caeca). É necessário que o prédio tenha boa localização, seja de fácil acesso ao transporte coletivo e tenha capacidade de abrigar as quase 300 crianças inscritas no projeto que recebem atendimento com fonoaudiólogo, psicológico, psiquiatra, neurologista, psicopedagoga, terapeuta ocupacional e assistente social.

De acordo com a Coordenadora e Terapeuta Ocupacional (TO), Carla Serpa, nesse período de pandemia o horário de atendimento foi reduzido pela necessidade de higienização, do afastamento de alguns profissionais e pelo perigo de contaminação ás crianças. Aos poucos o atendimento está retomando a sua normalidade e a idéia é de ampliação dos atendimentos, mas é necessário um local adequado. “Nossa grande dificuldade é a falta de espaço físico para abrigarmos o Caeca. Precisamos de um prédio que tenha boa localização, com fácil acesso ao transporte coletivo. Além disso, a casa tem que ter a capacidade de suportar toda sua estrutura profissional e administrativa e ser acolhedora aos nossos pacientes”, explicou Serpa.

E continuou. “A falta de um local definitivo afeta às crianças, porque, hoje em dia, dividimos nosso atendimento em três locais diferentes; diversificamos os profissionais de saúde que durante a semana atendem no prédio do Sindicato dos Municipários de Capão do Leão, na Casa de Cultura e no Pronto Atendimento Municipal (PAM). O PAM, é o mais complicado, porque, há momentos em que nos deparamos com situações de emergência que gera angustia e tristeza nas crianças autistas. Elas ficam inquietas e nervosas com as movimentações intensas do Pronto Atendimento. Além disso, cada vez que mudamos o local de atendimento levamos todos os nossos equipamentos, é uma função”, explicou a coordenadora e TO Carla Serpa.

Com atendimentos reduzidos a fila de espera aumentou, mas para diminuir essa demanda, a equipe do Caeca está acolhendo as famílias em casos mais graves e, encaminhando á criança para avaliação de um profissional, conforme for à necessidade.