“Mulheres na História” – oficina e exposição de bonecas promove a reflexão e leva conhecimento sobre mulheres que são referência na luta por direitos e igualdade

O Centro de Referência da Juventude (CRJ) foi o cenário para o encontro que reuniu a arquiteta e artesã Olga Franco com mulheres da comunidade para a oficina e exposição de bonecas que homenageiam mulheres que se destacaram na busca pelo empoderamento, igualdade de gênero e garantia de direitos no Brasil e no mundo.

Para a vice-prefeita, Gilciane Baldassari, a atividade promoveu o diálogo, proporcionando momentos de arte e informação. “Durante a confecção das bonecas, criadas a partir do molde da artesã, as 15 participantes conheceram a história de algumas mulheres que lutaram como exemplo contra o machismo, ainda hoje tão presente na sociedade em que vivemos. Ficamos muito felizes com a oportunidade de aprendizado, diversão e de criar produtos que contribuam com a geração de renda”, concluiu.

Segundo Olga, “as vezes conhecer a história de uma mulher lutadora nos permite pensar e ver que podemos enfrentar situações que podem estar presentes na nossa vida. São situações difíceis que não têm a ver com idade nem nível social.”

A artesã disse que a idéia de confeccionar as bonecas iniciou como lazer. A primeira foi a Frida, um ícone, e a partir daí as amigas pediam e ela passou a produzir cada vez mais.

Desde então começou a provocação para a produção de outras bonecas com inspiração em outras mulheres que marcaram a luta por direitos.

Quando definiu fazer a exposição, a proposta da artista foi homenagear as brasileiras. “Começamos a fazer uma pesquisa com algumas mulheres que tinham representação com movimentos e selecionamos também a partir de uma linha de tempo.”

As criações incluem representantes indígenas, afros e dos movimentos sociais.
Desde março a exposição é permanente no Gabinete da Deputada da Stela Farias (PT) e a proposta é de que seja acessível a diversas mulheres e comunidades.

Para a Coordenadora do CRAS, Franciele Costa da Silva, “esta atividade promove a autonomia, a importância de ocupar espaços, principalmente neste momento em que estamos vivendo. A construção de vínculos é o carro chefe do nosso trabalho, e o empoderamento das mulheres é enaltecido quando tomamos conhecimento dessas histórias.”

De acordo com Cecília Hypólito, assessora da Deputada Stela Farias (PT), que promoveu a exposição, “a receptividade tem sido uma surpresa. Independente do nível social ou cultural encontramos nessas atividades mulheres que também sofrem abusos e que, a partir desse trabalho lúdico, sentem-se a vontade para dialogar, refletir e trabalhar essas questões”.

As 14 bonecas que compõe a exposição são: a quilombola Dandara, a artista Chiquinha Gonzaga, a farmacêutica Maria da Penha, a líder movimento indígena brasileiro Sonia Guajajara, a escritora Nísia Floresta, a fundadora da primeira associação de domésticas do Brasil, Laudelina Dos Santos, a psiquiatra Nise da Silveira, a líder campesina Margarida Maria Alves, a artista mexicana Frida Khalo, a artista cantora e violonista chilena, Violeta Parra, a atleta Marta Vieira, a bióloga feminista Bertha Luz, a paquistanesa Malala e a primeira mulher a se tornar Presidenta da República do Brasil, Dilma Rousseff.

A atividade aconteceu na manhã do dia 19, no CRJ, localizado no bairro Jardim América.