Mostra de Talentos – evento promove a valorização e o respeito aos usuários do Caps, no Dia Municipal do Combate à Discriminação e o Preconceito na Saúde Mental

Emoção, superação, respeito, união e alegria marcaram o evento realizado pela Prefeitura, em comemoração ao Dia Municipal do Combate à Discriminação e o Preconceito na Saúde Mental.

Ao longo da sexta-feira (27), no salão da paróquia Santa Tecla, mais de 200 pessoas participaram das atividades programadas pela equipe do Caps Casa Vida para promover a reflexão sobre a inclusão social dos portadores de transtornos mentais.

A Mostra de Talentos reuniu usuários e representantes do atendimento a saúde mental de Capão do Leão, de Pelotas, Rio Grande, São Lourenço e Bagé, engajados na luta para combater o preconceito, a discriminação, buscando reforçar a garantia dos direitos dos usuários ao trabalho, educação e ao lazer.

A programação iniciou com a solenidade conduzida pelas Mestres de Cerimônias, Janice e Nara, usuárias do CAPS Casa Vida. A abertura contou com a presença da vice-prefeita, Gilciane Baldassari, do Secretário de Saúde, Wolke Rodrigues, da Diretora do Caps Casa Vida, Richele Matheus e dos vereadores César Domingues (Cezinha) e David Martins, representando a Câmara Municipal.

Também participaram do ato Isabel Chagas, presidente do Conselho Municipal de Saúde e a coordenadora adjunta da política de saúde mental, da Coordenadoria Estadual da Saúde, Emanuele dos Santos.

Pela manhã, o grupo do Caps Casa Vida deu início a programação com a mostra de “Dança Circular”. Após, a alegria da música e dos figurinos marcou a apresentação do grupo IAM (Inclusão através da música), do Caps II, de Bagé. A animação seguiu com as apresentações do “Nego Will”, do grupo de redução de danos, de Dionatan, do Caps AD, e do coral do Caps Nossa Casa, de São Lourenço do Sul, que tem a coordenação do professor Agnaldo.

O Diretor de Cultura e Desporto, Éverson Maré, e o vereador David Martins também se apresentaram e contribuíram com a programação musical do evento.
Antes do almoço, a enfermeira Adriane Eslabão, que atua como profissional da saúde na UBS III, no Jardim América, ao lado de usuários, deu um depoimento e relatou os resultados positivos obtidos com as ações desenvolvidas desde a atenção básica, junto aos pacientes, no Município.

De Rio Grande, o representante do Fórum Gaúcho de Saúde Mental, Cid, com o personagem “Palhaço Tropeço”, se apresentou enaltecendo a importância do combate ao preconceito, passando a mensagem com uma dinâmica de grupo que emocionou a todos.

Após o almoço preparado pela equipe do Caps Casa Vida e voluntários, a programação continuou com as apresentações de Dança do Ventre, do grupo que participa das aulas no Centro de Referência da Juventude (CRJ), espaço projetado pela atual gestão, para promover a inclusão de jovens, possibilitando oportunidades de aprendizado e lazer.

Na seqüência, a Invernada do Caps Casa Vida, deu show. Além da coreografia coordenada pela professora voluntária Paula Costa, o grupo apresentou pela primeira vez o figurino que foi confeccionado após um bingo beneficente, idealizado pela Diretora do Caps para arrecadar os recursos.

Os representantes da Saúde Mental, de Pelotas, realizaram diversas apresentações. O Grupo Arte e Ser Feliz, coordenado pelo professor de música Hugo, animou a todos. O Grupo Vocal Esperança, o Grupo Musical Felizarte e Revolver, com a coordenação de Zamir, empolgou o público que cantou e dançou acompanhando as músicas. Da mesma forma foram as apresentações do Grupo Musical de Saúde Mental Los Lokos e do Centro de Reabilitação de Pelotas (Cerenep), que atendeu aos pedidos entusiasmados de “bis”.

No encerramento, bailarinos do Grupo de Dança Contemporânea da UFPel, apresentaram “Grupo Woodstock 1969”, montagem do espetáculo de Giovana Carvalho, membro do grupo de terapia ocupacional.

O artesanato leonense, do grupo de artesãos, organizado pela Secretaria de Cidadania e Assistência Social também esteve presente no evento.

Ao final, a vice-prefeita, Gilciane Baldassari, destacou o apoio do Governo no combate ao preconceito. “Neste dia tão feliz, somos acolhidos e envolvidos pela sinceridade, espontaneidade e afeto dos usuários. Fica nosso agradecimento e a certeza de que vamos seguir lutando pelo respeito a todos”.

No município, o CAPS Casa Vida possui caráter aberto e comunitário. As equipes multiprofissionais e transdisciplinares, atualmente, realizam atendimento a 110 usuários com transtornos mentais graves e persistentes, a pessoas com sofrimento e/ou transtornos mentais em geral, incluindo decorrentes do uso álcool ou outras drogas.