Estudantes da rede municipal de ensino terão alimentação padronizada ricas em nutrientes

dsc_0017

As merendeiras das escolas municipais de Capão do Leão participaram na quarta-feira (5) do lançamento do livro “As Fichas Técnicas de Preparo para Alimentação Escolar”, elaborado em uma parceria entre Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Educação e, Departamento de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). O evento ocorreu na sede II do Sindicato dos Municipários.

O livro apresenta uma padronização de preparação alimentar de todas as escolas apresentando a quantidade de ingredientes á serem utilizados e formas de preparo, a fim de igualar e equilibrar a merenda escolar no município. De acordo com Renata Brasil, nutricionista responsável pela merenda escolar no município, o trabalho foi difícil e o livro levou em torno de um ano e meio para ser concluído. “Este livro será apresentado num congresso internacional que será realizado em breve em Porto Alegre”, disse.

dsc_0022

Ainda de acordo com Renata, as receitas que constam no livro são utilizadas nas escolas de ensino fundamental da cidade. “A alimentação em nossa região sul é padrão, portanto, seguimos determinação padrão de alimentação escolar, que prioriza atender o hábito regional. Por isso, todos os produtos hortifrutigranjeiros são da nossa região”, afirma.
“Uma das principais funções da alimentação escolar é manter o aluno atento á aula, já que muitos deles não têm o que comer em casa e, às vezes é a única refeição do dia. Por isso, é importante que se atenda ás necessidades exigidas no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), que determina alimentação salgada três vezes por semana e alimentação doce duas vezes por semana, acompanhadas de frutas e legumes.

A Secretaria Municipal de Educação e Cultura disponibilizará o livro á todas as escolas da rede municipal, por entender que o livro é peça fundamental para o treinamento da equipe de merendeiras, visando á implantação da Ficha Técnica de Preparo (FTP), elaborada com o objetivo de qualificar a alimentação escolar, e reduzir desperdícios, além de, conseqüentemente, reduzir custos melhorando os serviços prestados.

Gerson Baldassari – Jornalista – DRT/RS – 11634