Capão do Leão – tradição doceira é reconhecida como patrimônio nacional

Pelotas e a Antiga Pelotas (porção que abarca os municípios da região emancipados do município de Pelotas – Arroio do Padre, Capão do Leão, Morro Redondo e Turuçu) foram reconhecidos como patrimônio imaterial nacional devido a tradição doceira.

Na ocasião, a vice-prefeita, Gilciane Baldassari, recebeu o título concedido ao Município.

Na terça-feira (05), durante a 88ª Reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, as Tradições Doceiras da Região de Pelotas e Antiga Pelotas, a decisão foi tomada, por unanimidade, pelo Conselho Consultivo que se reuniu na sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em Brasília.

O registro das Tradições Doceiras tem por finalidade reconhecer e valorizar bens de natureza imaterial em seu processo dinâmico de evolução, possibilitando uma apreensão do contexto pretérito e presente dessas manifestações em suas diferentes versões.

Os certificados foram entregues pela presidenta nacional do IPHAN. Foi a primeira vez na história que o Instituto condeceu um título a um região inteira. Capão do Leão está inserido nesse contexto. Uma luta de mais de 10 anos, pois o projeto foi protocolado em 2006.